(41) 3014-4040 / contato@gcb.adv.br

 

Notícias

27/05/2021

ÍNDICE DE INFLAÇÃO MAIS USADO EM NEGOCIAÇÕES SALARIAIS TEM ALTA DE 7,59% EM DOZE MESES

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), referência para reajustes salariais e benefícios do INSS, fechou em alta de 0,38% em abril, ante 0,86% em março. Ainda assim, nos últimos doze meses, o INPC já acumula alta de 7,59%. Somente nos quatro primeiros meses de 2021, o indicador já subiu 2,35%. 

O INPC é o índice mais utilizado nas negociações salariais no país e tem por objetivo a correção do poder de compra dos salários, através da mensuração das variações de preços da cesta de consumo da população assalariada com mais baixo rendimento.

Atualmente, a população-objetivo do INPC abrange as famílias com rendimentos de 1 a 5 salários mínimos, assalariadas, residentes nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís e Aracaju.

Por sua vez, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), considerado a inflação oficial do país, também acumula alta de 6,76% no último ano e segue acima do teto da meta, chegando ao nível mais alto em quase quatro anos e meio, permanecendo acima do teto da meta do governo para a inflação no ano – o centro da meta é de 3,75%, podendo variar entre 2,25% e 5,25%.

Apenas o grupo transportes (-0,08%) registrou queda de preços em abril, favorecido pela deflação nos combustíveis (-0,94%), justamente este grupo que, nos dois meses anteriores, havia puxado a inflação no país.  Todas as áreas investigadas pelo IBGE apresentaram variação positiva no mês.

Em 2020, a inflação fechou em 4,52%, acima do centro da meta do governo, que era de 4%, tendo sido a maior inflação anual desde 2016.

Fonte: IBGE

Compartilhe:

Voltar

Compartilhe no WhatsApp